Pular para o conteúdo principal

Marco Feliciano manda prender manifestante que o chamou de racista e critica jornalistas: “Vocês não têm outro assunto pra falar, não?”


A reunião de hoje, 27 de março, da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) da Câmara dos Deputados foi marcada por novos tumultos e demonstrações de impaciência por parte de seu presidente, o pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP).
Enquanto um parlamentar falava sobre a situação dos torcedores corintianos na Bolívia, um manifestante passou a gritar acusando Feliciano de racismo. Nesse momento, o pastor determinou que a segurança intervisse: “Aquele senhor de barba, chama a segurança. Ele me chamou de racista. Racismo é crime. Ele vai sair preso daqui”, ordenou.
A segurança da casa levou o rapaz que foi identificado como Marcelo Régis Pereira para a Delegacia da Polícia Legislativa, enquanto os demais manifestantes gritavam palavras de ordem: “Não respeita negros, não respeita homossexuais, não respeita mulheres, não vou te respeitar não”, diziam.
O próprio manifestante preso, gritava palavras de ordem enquanto era levado pelos seguranças da Câmara: “Isso é porque sou negro. Eu sou negro”, dizia, de acordo com o G1.
Nesse momento, Marco Feliciano suspendeu a sessão da CDHM e transferiu a reunião para outra sala, onde apenas 20 manifestantes contrários a ele e outros 20 favoráveis tinham acesso à sala, através de uma senha distribuída pelos seguranças.
Clemência para brasileiros condenados na Indonésia
Mais cedo, o deputado Marco Feliciano visitou a Embaixada da Indonésia para conversar com o representante do governo indonésio sobre a situação de brasileiros presos no país e que teriam sido condenados à morte, com a execução da sentença prevista para 2014.
Na saída, questionado sobre a situação da CDHM, Marco Feliciano voltou a demonstrar irritação e criticou a forma como a imprensa vem divulgando os fatos: “Não falo mais nada. Vocês [jornalistas] estão ultrapassando o meu limite de espaço. Eu estou aqui para um assunto sério e vocês estão de brincadeira”, reclamou o deputado.
Feliciano negou que houvesse crise na Comissão de Direitos Humanos: “A comissão não está em crise, quem está em crise são vocês. Falando besteira e falando coisas que não existem. Já fizemos duas sessões e na primeira votamos a rodada da pauta, a segunda foi impedida por causa do tempo, hoje tem a terceira sessão. Não sei se será (aberta ou fechada)”, afirmou, antes de reiterar sua postura de não sair do cargo: “Não vou renunciar de jeito nenhum. O que os líderes podem fazer com a minha vida? Eu fui eleito pelo voto popular e pelo voto do colegiado ponto final, que insistência. Vocês não têm outro assunto pra falar, não?”, questionou.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mensagem de Ensinamento com Pr. Clodoaldo Alves da Costa 08/08/2017

Culto de Ensinamento na IEADN em Boa Vista Roraima, com nosso Pastor Presidente Clodoaldo Alves da Costa