Pular para o conteúdo principal

Adolescentes são acusadas ​​de “blasfêmia” por dançarem durante oração

Grupos radicais pedem punição a jovens na Indonésia

Algo tão inocente como dançar uma música que é sucesso nas rádios pode ter consequências trágicas, dependendo do lugar em que se vive. Cinco meninas da Indonésia foram acusados ​​de blasfêmia por misturarem as orações sagradas do Islã com uma música de um grupo pop.  A polícia abriu um processo e elas poderão enfrentar duras punições por parte das autoridades.
Segundo o jornal The Jakarta Globe, as adolescentes são acusadas ​​de violarem o artigo 156 do Código Penal da Indonésia, que trata de “adulteração de religião”. O motivo é que as alunas de uma escola de ensino médio na ilha de Sulawesi misturaram as orações exigidas pelo Islã  com a canção “One More Night”, do Maroon 5, enquanto faziam uma dança considerada sensual. O vídeo postado no início do mês se tornou um fenômeno viral na Indonésia, maior país muçulmano do mundo
Gravado com um celular, o vídeo de 5 minutos mostra as adolescentes fazendo os tradicionais movimentos de oração alternados com passos de dança, enquanto a música tocando no fundo. O crescente número de acessos no Youtube chamou atenção das autoridades religiosas, que foram até a escola.
O diretor do colégio, identificado como Mu’allimin, declarou estar chateado com a repercussão. Como todas as envolvidas são menores de idade, não foram presas. Contudo, podem ser julgadas e enfrentar algum tipo de penalidade por blasfemarem contra a religião. Se condenadas, poderiam pegar uma pena máxima de cinco anos. As meninas dizem temer por suas vidas.
O caso continua gerando repercussão no país e os membros da Frente de Defesa Islâmica, um grupo conhecido por sua defesa radical da religião nacional expressou sua indignação com o vídeo e fez um protesto em frente à delegacia de polícia local, exigindo punição. As leis sobre a blasfêmia na Indonésia têm sido um ponto frequente de discórdia entre o país e os grupos de direitos humanos.  Com informações Huffington Post
Assista:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Banda Catedral anuncia última turnê e o seu fim

Em vídeo, os integrantes da banda, Kim, Júlio Cézar e Guilherme Morgado anunciam que o CD e DVD dos 25 anos da banda será o último trabalho. 

Nesta sexta-feira, 22 de maio, os integrantes da Banda Catedral anunciaram em vídeo, que, a gravação do Cd e DVD em comemoração aos 25 anos da banda, que será gravado em Belém (PA) e em Recife (PE), será o seu último trabalho.

O último trabalho em vídeo que vai celebrar os 25 anos de carreira da banda, recebeu o nome de “Música Inteligente Ao Vivo 25 Anos”.

“Música Inteligente Ao Vivo 25 Anos” será o quarto trabalho ao vivo do Catedral em DVD. Os outros títulos já lançados são “Catedral 10 Anos Ao Vivo”, “Acima do Nível do Mar - 15 Anos” e “Catedral 20 Anos de Estrada Ao Vivo”. Além desses DVDs, a banda tem outro título, “Mais que Amigos = Irmãos”, em parceria com a banda Novo Som.

Catedral é uma banda brasileira de rock cristão, formada no Rio de Janeiro em 1988, conhecida por abordar nas letras de suas canções uma mensagem cristã positiva e popula…

Mensagem do Pr. Clodoaldo

Ouça mais uma mensagem abençoada por Deus através do nosso querido Pr. Clodoaldo, esta mensagem foi entregue dia 05/07/2015 no culto de Santa Ceia no Templo Sede da IEADN.

Seja abençoado em nome de Jesus.













Onda de ataques deixa 800 cristãos mortos e 16 igrejas destruídas

A Arquidiocese de Kafanchan divulgou esta semana que os últimos ataques no sul do estado de Kaduna, Nigéria, resultou em mais de 800 mortos. Cinquenta e três aldeias foram invadidas por soldados islâmicos, da etnia fulani. As autoridades reconhecem que falharam em proteger os habitantes locais, mas não anunciaram que providencias tomariam. Durante uma coletiva de imprensa, Ibrahim Yakubu, responsável pela arquidiocese e quatro outros padres apresentaram um relatório completo, mostrando que foram invadidas 1422 casas e destruídas 16 igrejas, além de uma escola primária cristã. Ao total, morreram 808 pessoas e mais 57 ficaram feridos. Ao jornal The National, Yakubu pediu que todas as famílias que perderam entes queridos ou propriedade recebessem algum tipo de compensação e que seja criada uma comissão oficial para investigar os casos. Já o senador Sani Shehu, reclamou que o estado de Kaduna esteja se transformando em “um matadouro e um cemitério onde vidas humanas não tem valor”. Ele af…