Pular para o conteúdo principal

Sequestrador de Cleveland alegará inocência perante o júri


Ariel Castro, acusado por sequestro e estupro das três mulheres,
 no tribunal em Ohio, Estados Unidos - John Gress/Reuters
Os advogados de Ariel Castro já estabeleceram qual será a defesa de seu cliente diante das acusações de ter sequestrado e estuprado três mulheres durante 10 anos em Cleveland, no estado de Ohio. O representante Jaye Schlachet afirmou, nesta quarta-feira, que o americano de origem porto-riquenha alegará inocência perante o júri.
A defesa, que não esclareceu sobre quais bases alegará inocência, disse que conversou com Castro por quatro horas na prisão e chegou à conclusão de que o sequestrador não é um “monstro”. “Ele não deveria ser demonizado”, afirmou Schalachet. Os advogados também garantiram à WKYC-TV que o seu cliente “ama profundamente” a filha de seis anos que teve com uma das vítimas, Amanda Berry.
Castro foi preso após Amanda aproveitar a sua ausência para gritar por socorro. Ela escapou do cativeiro com a ajuda de um vizinho e chamou a polícia para libertar as outras duas reféns, Gina DeJesus e Michelle Knight. Os irmãos de Castro, Pedro e Onil, chegaram a ser detidos pelas autoridades, mas foram libertados após nenhuma prova ligar os dois ao caso. Eles chegaram a dizer que o irmão é um “monstro e deveria apodrecer na cadeia”.
Os promotores que cuidam do caso não se manifestaram diante das novas declarações da defesa de Castro. Eles estão preparando o processo que será apresentado ao júri em uma nova audiência. Além das quatro acusações de sequestro e três de estupro, a promotoria estuda encaixar os abortos que Castro forçou uma das vítimas a cometer como homicídio.Michelle disse que engravidou cinco vezes do sequestrador e foi torturada e espancada até abortar em todas as ocasiões. Se o júri aceitar esta denúncia, o sequestrador poderá ser condenado até a pena de morte.

Predador Sexual – As alegações dos advogados contradizem um bilhete encontrado pela polícia de Cleveland na residência que serviu como cativeiro para as vítimas. De acordo com aCBS News, o criminoso escreveu a carta em 2004 e confessou todos os crimes cometidos contra as três mulheres. Ele se definia na nota como um “predador sexual” e dizia ter sofrido abusos do tio e dos pais durante a infância. O bilhete também manifestava o desejo de Castro cometer suicídio e deixar todo o dinheiro que economizou para as vítimas. Castro, que tem sido chamado de monstro de Cleveland, aguarda o julgamento em uma cela com vigilância especial e tem fiança estipulada em 8 milhões de dólares.

(Com agência France-Presse)Fonte

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Banda Catedral anuncia última turnê e o seu fim

Em vídeo, os integrantes da banda, Kim, Júlio Cézar e Guilherme Morgado anunciam que o CD e DVD dos 25 anos da banda será o último trabalho. 

Nesta sexta-feira, 22 de maio, os integrantes da Banda Catedral anunciaram em vídeo, que, a gravação do Cd e DVD em comemoração aos 25 anos da banda, que será gravado em Belém (PA) e em Recife (PE), será o seu último trabalho.

O último trabalho em vídeo que vai celebrar os 25 anos de carreira da banda, recebeu o nome de “Música Inteligente Ao Vivo 25 Anos”.

“Música Inteligente Ao Vivo 25 Anos” será o quarto trabalho ao vivo do Catedral em DVD. Os outros títulos já lançados são “Catedral 10 Anos Ao Vivo”, “Acima do Nível do Mar - 15 Anos” e “Catedral 20 Anos de Estrada Ao Vivo”. Além desses DVDs, a banda tem outro título, “Mais que Amigos = Irmãos”, em parceria com a banda Novo Som.

Catedral é uma banda brasileira de rock cristão, formada no Rio de Janeiro em 1988, conhecida por abordar nas letras de suas canções uma mensagem cristã positiva e popula…

Mensagem do Pr. Clodoaldo

Ouça mais uma mensagem abençoada por Deus através do nosso querido Pr. Clodoaldo, esta mensagem foi entregue dia 05/07/2015 no culto de Santa Ceia no Templo Sede da IEADN.

Seja abençoado em nome de Jesus.













Onda de ataques deixa 800 cristãos mortos e 16 igrejas destruídas

A Arquidiocese de Kafanchan divulgou esta semana que os últimos ataques no sul do estado de Kaduna, Nigéria, resultou em mais de 800 mortos. Cinquenta e três aldeias foram invadidas por soldados islâmicos, da etnia fulani. As autoridades reconhecem que falharam em proteger os habitantes locais, mas não anunciaram que providencias tomariam. Durante uma coletiva de imprensa, Ibrahim Yakubu, responsável pela arquidiocese e quatro outros padres apresentaram um relatório completo, mostrando que foram invadidas 1422 casas e destruídas 16 igrejas, além de uma escola primária cristã. Ao total, morreram 808 pessoas e mais 57 ficaram feridos. Ao jornal The National, Yakubu pediu que todas as famílias que perderam entes queridos ou propriedade recebessem algum tipo de compensação e que seja criada uma comissão oficial para investigar os casos. Já o senador Sani Shehu, reclamou que o estado de Kaduna esteja se transformando em “um matadouro e um cemitério onde vidas humanas não tem valor”. Ele af…