Pular para o conteúdo principal

“Sei que vivo em pecado”: Garota de programa que se diz evangélica afirma que atenderia ao papa Francisco

A questão da prostituição é repudiada por todas as vertentes do cristianismo, que à luz da Bíblia Sagrada classifica a prática como pecaminosa. No entanto, em tempos de crescimento numérico galopante de evangélicos no Brasil, situações antes inimagináveis são retratadas pela mídia como fatos corriqueiros.
O jornalista Mário Magalhães, blogueiro do portal Uol, publicou uma reportagem em que entrevistou garotas de programa a respeito da visita do papa Francisco ao Rio de Janeiro para a Jornada Mundial da Juventude.
Com o irreverente subtítulo de “Sexo Ecumênico”, o jornalista relatou a história da garota de programa mineira Mel, 20 anos, que se diz evangélica e casada. “Sei que vivo em pecado”, sussurrou a jovem, segundo o jornalista.
A jovem relata que a opção por ganhar a vida vendendo o corpo se deu pelo baixo salário. Seu emprego anterior, como atendente de telemarketing, rendia-lhe um salário mínimo mensal. Agora, prostituindo-se, arrecada até R$ 750 por noite.
Mel relata ainda que seu marido, aos 22 anos, também seguiu o mesmo caminho, e atende homossexuais cobrando R$ 70 a cada quinze minutos de programa. O subtítulo usado pelo jornalista se justifica pela declaração da própria Mel: “Se o papa passar e olhar para mim, eu vou gritar ‘come on’”, afirma a garota.
Magalhães usa a história de vida da jovem mineira para citar um caso de restauração. A pastora Wilma Ribeiro, uma das líderes da Igreja Batista da Lagoinha (IBL), contou seu testemunho de conversão num livro biográfico, e fala abertamente sobre a fase em que se prostituía: “Cheguei a sair com o primeiro-ministro de certo país”, relata.
O texto de Magalhães ainda conta a história de uma prostituta chamada Júlia, que já foi católica por quinze anos, evangélica da Assembleia de Deus por outros seis e que, atualmente, se mantém distante da fé e adota postura diferente de Mel: “Ou é céu ou o inferno. Não dá para servir a dois deuses ao mesmo tempo. Agora, estou no inferno”, resume.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Banda Catedral anuncia última turnê e o seu fim

Em vídeo, os integrantes da banda, Kim, Júlio Cézar e Guilherme Morgado anunciam que o CD e DVD dos 25 anos da banda será o último trabalho. 

Nesta sexta-feira, 22 de maio, os integrantes da Banda Catedral anunciaram em vídeo, que, a gravação do Cd e DVD em comemoração aos 25 anos da banda, que será gravado em Belém (PA) e em Recife (PE), será o seu último trabalho.

O último trabalho em vídeo que vai celebrar os 25 anos de carreira da banda, recebeu o nome de “Música Inteligente Ao Vivo 25 Anos”.

“Música Inteligente Ao Vivo 25 Anos” será o quarto trabalho ao vivo do Catedral em DVD. Os outros títulos já lançados são “Catedral 10 Anos Ao Vivo”, “Acima do Nível do Mar - 15 Anos” e “Catedral 20 Anos de Estrada Ao Vivo”. Além desses DVDs, a banda tem outro título, “Mais que Amigos = Irmãos”, em parceria com a banda Novo Som.

Catedral é uma banda brasileira de rock cristão, formada no Rio de Janeiro em 1988, conhecida por abordar nas letras de suas canções uma mensagem cristã positiva e popula…

Mensagem do Pr. Clodoaldo

Ouça mais uma mensagem abençoada por Deus através do nosso querido Pr. Clodoaldo, esta mensagem foi entregue dia 05/07/2015 no culto de Santa Ceia no Templo Sede da IEADN.

Seja abençoado em nome de Jesus.













Onda de ataques deixa 800 cristãos mortos e 16 igrejas destruídas

A Arquidiocese de Kafanchan divulgou esta semana que os últimos ataques no sul do estado de Kaduna, Nigéria, resultou em mais de 800 mortos. Cinquenta e três aldeias foram invadidas por soldados islâmicos, da etnia fulani. As autoridades reconhecem que falharam em proteger os habitantes locais, mas não anunciaram que providencias tomariam. Durante uma coletiva de imprensa, Ibrahim Yakubu, responsável pela arquidiocese e quatro outros padres apresentaram um relatório completo, mostrando que foram invadidas 1422 casas e destruídas 16 igrejas, além de uma escola primária cristã. Ao total, morreram 808 pessoas e mais 57 ficaram feridos. Ao jornal The National, Yakubu pediu que todas as famílias que perderam entes queridos ou propriedade recebessem algum tipo de compensação e que seja criada uma comissão oficial para investigar os casos. Já o senador Sani Shehu, reclamou que o estado de Kaduna esteja se transformando em “um matadouro e um cemitério onde vidas humanas não tem valor”. Ele af…