Pular para o conteúdo principal

O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE O SEXO ORAL? PODE OU NÃO PODE?

No geral, falar em sexo virou tabu dentro das igrejas. E não só dentro das igrejas, mas também nos círculos de amizade e no meio familiar. O grande problema, é que se prega muito sobre amor, paz, comunhão, dízimo e etc, e se esquece que a grande maioria dessas pessoas fazem sexo. Se o sexo não está bom, o relacionamento conjugal também não está, e se o relacionamento conjugal não está, como viver bem nas outras áreas da vida? É complicado... Vejam o desabafo de uma esposa: 
"Não gosto de sexo oral e meu marido sabe disso, mas faço porque ele quer. Parece que ele não se satisfaz só com o sexo comum. Mas quando há sexo oral nas nossas relações, ele nem mesmo sabe em que "estágio" eu estou, apenas se importa com o próprio prazer. Ele diz que isso o faz sentir amado, e que se não tiver sexo oral é tentado a cair na pornografia. Mas não é ele quem deveria resistir à tentação? Se ele cede e compra uma revista pornográfica, por que a culpa é minha? Por que sexo oral é errado? É por causa do egoísmo? Como o princípio bíblico de que nosso corpo não nos pertence, e sim ao nosso cônjuge, se aplica neste caso?"


Centenas de mulheres são assombradas diariamente pelo fantasma dessa dúvida, e por conta disso, muitas negam-se inclusive a fazer sexo. A Bíblia em momento algum faz menção da prática do sexo oral em si, quer dizer, apenas o livro de Cantares nos deixa uma visão de Deus sobre o amor sexual (com uma leve pincelada de sexo oral). Já no Novo Testamento, temos algumas outras pistas: "O casamento deve ser honrado por todos; o leito conjugal conservado puro; pois Deus julgará os imorais e os adúlteros" Hb 13.4



Entendemos então, pelo lógica, que um leito conjugal impuro é aquele que permite o adultério e a imoralidade sexual. Pois bem, e o que vem a ser imoralidade sexual? As formas erradas de se praticar o sexo, ou seja, o sexo imoral. A Bíblia cita algumas destas práticas: sexo fora da aliança do casamento, prostituição, adultério, incesto (sexo entre parentes muito próximos), pornografia, bestialismo (sexo com animais), pedofilia, swing, entre outros. Paulo também fala em 1 Cor 7: "...mas, por causa da imoralidade, cada um deve ter sua esposa, e cada mulher o seu próprio marido. O marido deve cumprir os seus deveres conjugais para com a sua mulher, e da mesma forma a mulher para com o seu marido." 



Novamente, pela lógica, entendemos que ao nos casarmos, estamos automaticamente evitando a imoralidade sexual. Ou seja, o que for feito entre marido e mulher não deve ser considerado imoralidade sexual - a não ser que seja feito com egoísmo e sem amor. Quando aquela esposa desabafa dizendo que o seu marido nem mesmo sabia em que estágio ela estava, percebemos que a satisfação pessoal passou como um trator por cima de uma vida. E não há como atingir intimidade sexual desta maneira, pois o sexo não foi criado para nos satisfazermos, e sim para satisfazermos o outro. Quando conseguimos entender desta forma, tudo fica mais simples e prazeroso.



Ou seja, se o esposo obriga a sua mulher a praticar o sexo oral, não existe amor, e neste caso, podemos nomear o ato de pecado. Agora, se você sabe que para ele é prazeroso e faz para agradá-lo, sem culpa nenhuma, não há problema algum.

Mas e o versículo que diz: "A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido. Da mesma forma, o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher. Não se recusem um ao outro, exceto por mútuo consentimento e durante certo tempo, para se dedicarem à oração. Depois, unam-se de novo, para que Satanás não os tente por não terem domínio próprio. Digo isso como concessão, e não como mandamento." 1 Cor 7:4-6


Novamente voltamos a questão do amor. Como eu disse,  o sexo não foi criado para nos satisfazermos, e sim para satisfazermos nosso cônjuge, e é exatamente isso que o texto está nos ensinando. Se eu amo o meu marido, não vou privá-lo da relação sexual e se eu sei que certos tipos de carinho trazem prazer à ele, faço com alegria, pois a minha maior satisfação está em agradá-lo. E se o marido também pensa desta forma, imagine que sexo maravilhoso terão?



Agora, gostaria de compartilhar com vocês duas opiniões contrárias ao sexo oral. Em seguida, farei o contraponto:



"Os olhos não podem fazer a função dos pés, nem os ouvidos a função dos joelhos. Se hoje é muito difícil aceitar e suportar a ideia de que o único caminho que DEUS deixou para que haja a relação sexual entre o homem e a mulher durante o casamento é pela via normal (penetração do pênis na vagina), foi porque satanás já se apossou da mente e da carne do casal, escravizando-as. Observe o que diz o livro de Romanos: “E como eles (homens e mulheres) não se importaram de ter conhecimento de Deus, Ele os entregou a um sentimento pervertido, para fazerem coisas inconvenientes. Estão cheios de toda iniquidade, prostituição, malícia, avareza, maldade, inveja, homicídio, contenda, engano e malignidade. (...) Embora tenham conhecimento da justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também aprovam os que as praticam” (1:28, 29 e 32). A boca, além de ingerir alimentos materiais que dão sustentação ao nosso corpo, tem por função especial a de louvar a DEUS e a de falar da Sua Santa Palavra. E se a boca é o meio de ingestão de alimentos, o ânus de excreção de fezes. O marido que constrange a sua esposa para tal solicitação aberratória ou a esposa que insinua o marido para esse tipo de desejo sexual, um ao outro se deprava, e aos poucos vai colecionando maldição sobre a família e sobre o casamento. É imprescindível que o casal ore a DEUS antes de toda relação sexual, oferecendo-o os corpos para o Seu louvor e a Sua glória. A prática do sexo oral e anal entre casais é completamente abominável a DEUS, constituindo numa aberração da natureza humana, e entrou no meio da igreja cristã quando ela decidiu aderir a tal da modernização, fugindo dos exageros que antes cometera. Esse tipo de adaptação à modernidade é maligna e trouxe sérios prejuízos à igreja de DEUS aqui na terra".¹

"O modo natural é o sexo vaginal. A vagina tem forma, dimensões e elasticidade próprias para o coito; tem inervação capaz de despertar na mulher, o desejo e o prazer sexuais. No casamento monogâmico, a vagina não oferece risco de contágio infeccioso; é a via natural para o início de uma gravidez. A boca e o ânus/reto, não apresentam inervação erótica; são fontes certas de infecção e não levam à gravidez. O sexo oral ou anal é egoísta porque, geralmente, só dá prazer ao homem. A Bíblia diz que é contra a natureza, contra a vontade de Deus. Não deve ser praticado, portanto. Estamos vivendo dias semelhantes aos de Sodoma e Gomorra. As fantasias e aberrações sexuais atingiram o seu apogeu. Essas alternativas sexuais são fruto do hedonismo, esta corrida louca em busca do prazer, tão características desta geração. Sexo oral, embora tenha seus defensores ou aqueles que são tolerantes, não é recomendável do ponto de vista da saúde. Os tecidos da cavidade bucal não têm condições de resistir à ação de microrganismos que tem o seu habitat no canal vaginal ou na uretra masculina. Este comportamento sexual tem facilitado a transmissão de enfermidades venéreas transportadas agora para a boca, laringe ou faringe. Dentistas têm encontrado abscessos nas gengivas provenientes de bactérias próprias do aparelho genitário. A boca não foi planejada por Deus senão para as finalidades que já conhecemos. As esposas infelizes, abusadas e desrespeitadas por seus maridos com estes aberrativos e bestializados instintos, são vítimas de herpes, além de outras infecções graves."² 



Agora, o meu ponto de vista:



Bem, quando falamos em sexo oral, a primeira coisa que nos vem a mente são as imagens repugnantes já vistas em revistas ou filmes pornográficas. "É certo que não iremos, em nome da liberdade, fazer de tudo, mas se mantivermos o sexo numa relação de eterna monotonia, sem suas carícias, cairemos numa terrível decepção e frustração, achando que servimos a um Deus que proíbe tudo, até mesmo depois de estarmos casados. Quem ama a sua esposa ou esposo, acha nela ou nele a sua beleza, e jamais sentirá condenação em colocar a boca em qualquer parte do seu corpo, pois os dois já são uma só carne!"³ A mulher não pode colocar a boca no pênis do marido, mas o marido pode se lambuzar nos seios da esposa? Quer dizer então que a vagina e o pênis são órgãos pecaminosos e os seios não? E eu te pergunto: Aonde está isso na Bíblia? Meu irmão, "se não há base Bíblica para condenar o sexo oral, a afirmação e condenação do mesmo não se oriunda de falsos moralismos, achismos e falsas revelações, que ao invés de promoverem edificação só trazem confusões e intrigas?"³



Uma das desculpas que escuto daqueles que são contrários a esta prática, é que a nossa boca foi criada para louvor e adoração ao Senhor, e não para “essas coisas”. E eu pergunto: se a boca é somente para orar, louvar e pregar, não vai se alimentar mais? Então precisamos parar de comer frituras, doces e refrigerantes, pois eles destroem nosso organismo, não é mesmo? Realmente os nossos lábios são para louvor e adoração ao Senhor, assim como todo o nosso corpo. Se sexo oral é pecado e a Bíblia não menciona, o que dizer do beijo de língua? A Bíblia também não menciona. É pecado? Se essas pessoas alegam que a boca é para louvor e adoração, eles beijam a esposa de língua? Por que? Por que é permitido o beijo na boca (que também excita) e não é permitido o sexo oral? Se a boca é para pregar, orar e glorificar, e o que dizer das mãos? Não são utilizadas para ungir? Para impor as mãos sobre os enfermos? Para orar pelos irmãos? Para abraçar os que precisam? A esposa não pode mais ser acariciada e não vai mais acariciar o seu esposo? Vão fazer sexo como dois animais, só encostando e pronto? 



Como já foi dito, sexo oral só é errado quando é egoísta. Se existe amor, carinho e a intenção de satisfazer o outro, não há problema algum. E em relação a seguinte frase: "O sexo oral é egoísta porque geralmente só dá prazer ao homem", desculpe, mas não posso concordar. A mulher também pode receber e sentir prazer com o sexo oral, tudo depende da disposição de amar do marido. Referente as doenças, se o seu cônjuge for fiel não vai trazer doenças para casa, concorda? E outra coisa, se um dos dois estiver infectado, pode não passar para a boca, mas vai acabar passando para o órgão genital (neste caso a camisinha é uma grande aliada). E se um dos cônjuges estiver com herpes na boca, vai transmitir ao outro ao beijá-lo, sem precisar fazer sexo oral. Enfim, o sexo feito dentro do casamento, com amor e fidelidade, não traz problemas.

No nosso corpo não existem áreas mais pecaminosas que outras. O único órgão capaz de nos fazer pecar é o coração, pois é dele que procedem os maus pensamentos, os homicídios, os adultérios, as imoralidades sexuais, os roubos, os falsos testemunhos e as calúnias. Essas coisas sim tornam o homem ‘impuro’..." Mateus 15:19-20


Agora, sobre a questão de maridos que apelam para pornografia com a desculpa de que suas esposas restringem a relação sexual, quero dizer que os dois tem culpa no cartório! Esposa, quando você deixa de fazer sexo com seu esposo não está amando-o. E se fornece à ele apenas o papai e mamãe, debaixo das cobertas e com a luz apagada, está empurrando-o para a imoralidade. Marido, se você deseja coisas novas na relação sexual, por que ao invés de correr atrás de outras mulheres ou da pornografia, não tem uma conversa franca com a sua esposa? Não seria maravilhoso poder realizar os seus desejos sexuais com a mulher que você ama? Esposa, não seria maravilhoso ver que seu marido se sente tão realizado com a relação sexual entre vocês que não sente mais o desejo de procurar outras mulheres, nem em pensamento?



É importante deixar claro que o sexo oral deve ser usado como meio e não como fim. Assim como o beijo, ele é um carinho que excita para tornar o ato sexual mais intenso. Digo isso porque muito homens pedem o sexo oral, ejaculam e esquecem de suas esposas. Sexo oral deve ser apenas um carinho que faz parte preliminares, e não o sexo em si. E outra coisa, se o casal só consegue alcançar a plena satisfação sexual com o sexo oral, é porque alguma coisa não está certa. Um vício se instalou. É momento de conversarem abertamente e de forma madura. Vejam se desta forma ambos estão sentindo-se sexualmente satisfeitos e amados. Lembre-se: sua satisfação plena deve estar no seu cônjuge e não no ato em si. As carícias, posições e afins, servem apenas para deixar melhor o que já é muito bom: o relacionamento de amor entre vocês. Como a cereja do bolo, entende?



E para concluir, se não houve amor e preocupação com o outro, com certeza não agradou a Deus, seja com ou sem sexo oral. 



Dani Marques

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mensagem de Ensinamento com Pr. Clodoaldo Alves da Costa 08/08/2017

Culto de Ensinamento na IEADN em Boa Vista Roraima, com nosso Pastor Presidente Clodoaldo Alves da Costa