Pular para o conteúdo principal

Autora de Os Dez Mandamentos explica alterações na história bíblica: “É novela, não documentário”

A autora da novela Os Dez Mandamentos, Vivian de Oliveira, explicou porque a história tem personagens e alguns ingredientes a mais do que o texto bíblico, e afirmou que tem o propósito de ser fiel à narrativa da Bíblia Sagrada.
A “novela bíblica” da TV Record demandou um alto investimento da emissora do bispo Edir Macedo, e tem a pretensão de repetir o desempenho das minisséries produzidas anteriormente, porém em escala muito maior.
A equipe de produção contratou dois historiadores e uma pesquisadora para auxiliar Vivian de Oliveira na montagem do texto e também aos responsáveis pela cenografia, para que a reprodução dos ambientes fossem fiéis ao Egito do período histórico retratado.
Em entrevista à Folha de S. Paulo, Vivian de Oliveira destacou que a novela será o mais fiel possível à Bíblia, mas observou que Os Dez Mandamentos se trata de um produtor de teledramaturgia, não um filme documentário.
“A novela é muito fiel à Bíblia. Claro, a gente teve o cuidado de ser fiel aos fatos históricos mas tivemos que mudar algumas coisas para dar sustentação à trama. Afinal de contas, é uma novela, não um documentário. A gente pode usar a licença poética e fazer algumas alterações em alguns casos senão não tem o suficiente para 150 capítulos, ou às vezes fica estranho na trama, aí a gente tem que mudar”, afirmou Vivian de Oliveira.
A autora relata que o oposto também acontece, quando os conselheiros alertam para a possibilidade de mudanças exageradas: “Em alguns momentos a gente cedeu porque se não ia desviar muito do que existia na época que aconteceu a história de Moisés, mas em outros, a gente falou pra nossa equipe [os historiadores e a pesquisadora] que não ia dar para seguir o que eles queriam porque não faria sentido”, explicou.
Por fim, Vivian de Oliveira diz ter ciência que, apesar do esforço, Os Dez Mandamentos não agradará a todos: “Acho que terão pessoas que dirão, ‘Ah, isso não aconteceu na história de Moisés, realmente’, mas isso sempre tem. Vai ter gente que vai adorar e pensar que ficou super fiel e vai ter gente que vai se ater aos detalhes e ver que colocamos e tiramos elementos da história verdadeira. É assim mesmo”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Banda Catedral anuncia última turnê e o seu fim

Em vídeo, os integrantes da banda, Kim, Júlio Cézar e Guilherme Morgado anunciam que o CD e DVD dos 25 anos da banda será o último trabalho. 

Nesta sexta-feira, 22 de maio, os integrantes da Banda Catedral anunciaram em vídeo, que, a gravação do Cd e DVD em comemoração aos 25 anos da banda, que será gravado em Belém (PA) e em Recife (PE), será o seu último trabalho.

O último trabalho em vídeo que vai celebrar os 25 anos de carreira da banda, recebeu o nome de “Música Inteligente Ao Vivo 25 Anos”.

“Música Inteligente Ao Vivo 25 Anos” será o quarto trabalho ao vivo do Catedral em DVD. Os outros títulos já lançados são “Catedral 10 Anos Ao Vivo”, “Acima do Nível do Mar - 15 Anos” e “Catedral 20 Anos de Estrada Ao Vivo”. Além desses DVDs, a banda tem outro título, “Mais que Amigos = Irmãos”, em parceria com a banda Novo Som.

Catedral é uma banda brasileira de rock cristão, formada no Rio de Janeiro em 1988, conhecida por abordar nas letras de suas canções uma mensagem cristã positiva e popula…

Mensagem do Pr. Clodoaldo

Ouça mais uma mensagem abençoada por Deus através do nosso querido Pr. Clodoaldo, esta mensagem foi entregue dia 05/07/2015 no culto de Santa Ceia no Templo Sede da IEADN.

Seja abençoado em nome de Jesus.













Onda de ataques deixa 800 cristãos mortos e 16 igrejas destruídas

A Arquidiocese de Kafanchan divulgou esta semana que os últimos ataques no sul do estado de Kaduna, Nigéria, resultou em mais de 800 mortos. Cinquenta e três aldeias foram invadidas por soldados islâmicos, da etnia fulani. As autoridades reconhecem que falharam em proteger os habitantes locais, mas não anunciaram que providencias tomariam. Durante uma coletiva de imprensa, Ibrahim Yakubu, responsável pela arquidiocese e quatro outros padres apresentaram um relatório completo, mostrando que foram invadidas 1422 casas e destruídas 16 igrejas, além de uma escola primária cristã. Ao total, morreram 808 pessoas e mais 57 ficaram feridos. Ao jornal The National, Yakubu pediu que todas as famílias que perderam entes queridos ou propriedade recebessem algum tipo de compensação e que seja criada uma comissão oficial para investigar os casos. Já o senador Sani Shehu, reclamou que o estado de Kaduna esteja se transformando em “um matadouro e um cemitério onde vidas humanas não tem valor”. Ele af…