Pular para o conteúdo principal

“Jesus é meu Senhor não importa o que aconteça”, afirma Belfort após derrota

Vencedor e perdedor do UFC 187 agradecem a Jesus no octógono

Logo depois de derrotar o brasileiro Vitor Belfort, o campeão dos médios (até 84 kg), Chris Weidman deu entrevista ao canal oficial do UFC. Cercado de expectativa, o combate foi resolvido com pouco mais de dois minutos, ainda no primeiro round.
Embora Belfort seja conhecido por sempre falar sobre sua fé cristã, surpreendeu a muitos o fato de Weidman declarar diante das câmeras “Eu quero agradecer a Jesus, eu já passei por vários momentos difíceis e ele sempre me ajudou até aqui.  Também agradeceu a Deus, dizendo “Ele é a razão de eu estar aqui”. Por fim, pediu que o público pare de duvidar dele como lutador. Essa é a sexta vitória do americano sobre brasileiros, incluindo Anderson Silva por duas vezes.
A trajetória de Chris Weidman, 30 anos, já soma 13 vitórias e nenhuma derrota. Após o UFC 187, disputado em Las Vegas, ele permanece com o cinturão. Antes da luta, o clima entre os dois lutadores não estava bom. Durante a pesagem, precisaram ser apartados por Dana White, presidente do UFC.
Depois da luta, Belfort, 38 anos, que buscava seu terceiro título, resumiu-se a dizer: “Ele é um grande atleta e eu sabia que ele iria querer lutar no chão. Tentei evitar, mas foi uma noite melhor para ele. Ele sabe lutar no solo. Tentei trabalhar posições e dar bons golpes, mas ele foi superior”. Finalizou: “As coisas funcionam assim. Sem desculpas. Quero agradecer a Deus, Jesus é meu Senhor não importa o que aconteça. Quero agradecer também minha esposa, filhos e todos os brasileiros e americanos presentes aqui”.
Embora controversa, a fala dos lutadores revela algo comum entre lutadores de MMA. Um dos esportes que mais cresce em popularidade no mundo, também cresce o número de atletas que professam sua fé em Jesus.
Vitor Belfort, por exemplo, tem como parte de sua equipe o missionário americano radicado no Brasil Mark Shubert. Ele acompanha o lutador há cerca de dez anos.
Às vezes, os lutadores são confrontados por causa de situações pessoais que contrastam com a fé que professam.  Polêmico, o ex-campeão dos médio-pesados, Jon “Bones” Jones, sempre usou versículos bíblicos e agradeceu a Deus pelas suas vitórias.  Este ano, ele foi pego em um exame antidoping por suspeita de uso de cocaína. Ele se internou em uma clínica de reabilitação. Na época, o lutador Michael “Mayday” McDonald, usou as redes sociais para pedir que as pessoas não julgassem Jones e que ele era temente a Deus, mas tinha cometido um erro grave.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Banda Catedral anuncia última turnê e o seu fim

Em vídeo, os integrantes da banda, Kim, Júlio Cézar e Guilherme Morgado anunciam que o CD e DVD dos 25 anos da banda será o último trabalho. 

Nesta sexta-feira, 22 de maio, os integrantes da Banda Catedral anunciaram em vídeo, que, a gravação do Cd e DVD em comemoração aos 25 anos da banda, que será gravado em Belém (PA) e em Recife (PE), será o seu último trabalho.

O último trabalho em vídeo que vai celebrar os 25 anos de carreira da banda, recebeu o nome de “Música Inteligente Ao Vivo 25 Anos”.

“Música Inteligente Ao Vivo 25 Anos” será o quarto trabalho ao vivo do Catedral em DVD. Os outros títulos já lançados são “Catedral 10 Anos Ao Vivo”, “Acima do Nível do Mar - 15 Anos” e “Catedral 20 Anos de Estrada Ao Vivo”. Além desses DVDs, a banda tem outro título, “Mais que Amigos = Irmãos”, em parceria com a banda Novo Som.

Catedral é uma banda brasileira de rock cristão, formada no Rio de Janeiro em 1988, conhecida por abordar nas letras de suas canções uma mensagem cristã positiva e popula…

Mensagem do Pr. Clodoaldo

Ouça mais uma mensagem abençoada por Deus através do nosso querido Pr. Clodoaldo, esta mensagem foi entregue dia 05/07/2015 no culto de Santa Ceia no Templo Sede da IEADN.

Seja abençoado em nome de Jesus.













Onda de ataques deixa 800 cristãos mortos e 16 igrejas destruídas

A Arquidiocese de Kafanchan divulgou esta semana que os últimos ataques no sul do estado de Kaduna, Nigéria, resultou em mais de 800 mortos. Cinquenta e três aldeias foram invadidas por soldados islâmicos, da etnia fulani. As autoridades reconhecem que falharam em proteger os habitantes locais, mas não anunciaram que providencias tomariam. Durante uma coletiva de imprensa, Ibrahim Yakubu, responsável pela arquidiocese e quatro outros padres apresentaram um relatório completo, mostrando que foram invadidas 1422 casas e destruídas 16 igrejas, além de uma escola primária cristã. Ao total, morreram 808 pessoas e mais 57 ficaram feridos. Ao jornal The National, Yakubu pediu que todas as famílias que perderam entes queridos ou propriedade recebessem algum tipo de compensação e que seja criada uma comissão oficial para investigar os casos. Já o senador Sani Shehu, reclamou que o estado de Kaduna esteja se transformando em “um matadouro e um cemitério onde vidas humanas não tem valor”. Ele af…