Pular para o conteúdo principal

Só 20% do público de Os Dez Mandamentos é evangélico, diz diretor

A novela relata a história de Moisés e tem cativado o telespectador brasileiro


A produção da Rede Record realizou uma entrevista e percebeu que apenas 20% da audiência da novela “Os Dez Mandamentos” é formada por evangélicos. A notícia foi dada pelo diretor Alexandre Avancini que nega que a trama tenha os cristãos como público alvo.
“A gente fez uma pesquisa e descobriu que só 20% dos espectadores das produções bíblicas eram evangélicos. É bem pouco. O resto eram outras religiões e o público em geral”, disse ele ao iG.
A trama estreou como um grande sucesso na emissora de Edir Macedo, desde o primeiro capítulo a novela tem alcançado bons índices no ibope, apresentando números que a Record não via há muito tempo.
“A novela cativa por ter muitos dramas familiares que são absolutamente contemporâneos. A gente vê muito a história da mãe que teve que entregar o filho para adoção e depois o procura, tem o drama da mulher que é espancada pelo marido… E o que emociona o espectador é essa relação familiar”, explica Avancini ao comentar sobre a identificação do público com os personagens.
“Os Dez Mandamentos” conta a história de Moisés, desde seu nascimento, passando por sua adoção pela filha de Faraó até o momento que ele recebe a ordem de Deus para tirar os hebreus do Egito e guiá-los para a terra prometida.
Essa é a primeira novela bíblica da emissora que já agradou ao público com minisséries religiosas que também se tornaram sucesso. Avancini avisa que a empresa percebeu que o público brasileiro se interessa pelo tema e poderia gostar de uma novela baseada na Bíblia.
“A empresa percebeu que a temática bíblica tem um tipo de base de dramaturgia que permite desenvolver um excelente folhetim. Além de estar inserido um contexto épico supergrandioso, ele retrata relações familiares. Essa temática sempre tem um grande apelo junto ao público.”
Avancini elogiou a forma como a autora Vivian de Oliveira escreveu o texto da novela que é dividida em quatro fases da vida de Moisés, uma história bastante conhecida e que não tem como ter um final diferente.
“A Vivian conseguiu imprimir um ritmo mais ágil e, com isso, o público fica curioso para acompanhar esse movimento. São quatro fases, e a cada uma muda o cenário, muda o foco dos personagens”, avalia. Com informações IG

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Banda Catedral anuncia última turnê e o seu fim

Em vídeo, os integrantes da banda, Kim, Júlio Cézar e Guilherme Morgado anunciam que o CD e DVD dos 25 anos da banda será o último trabalho. 

Nesta sexta-feira, 22 de maio, os integrantes da Banda Catedral anunciaram em vídeo, que, a gravação do Cd e DVD em comemoração aos 25 anos da banda, que será gravado em Belém (PA) e em Recife (PE), será o seu último trabalho.

O último trabalho em vídeo que vai celebrar os 25 anos de carreira da banda, recebeu o nome de “Música Inteligente Ao Vivo 25 Anos”.

“Música Inteligente Ao Vivo 25 Anos” será o quarto trabalho ao vivo do Catedral em DVD. Os outros títulos já lançados são “Catedral 10 Anos Ao Vivo”, “Acima do Nível do Mar - 15 Anos” e “Catedral 20 Anos de Estrada Ao Vivo”. Além desses DVDs, a banda tem outro título, “Mais que Amigos = Irmãos”, em parceria com a banda Novo Som.

Catedral é uma banda brasileira de rock cristão, formada no Rio de Janeiro em 1988, conhecida por abordar nas letras de suas canções uma mensagem cristã positiva e popula…

Mensagem do Pr. Clodoaldo

Ouça mais uma mensagem abençoada por Deus através do nosso querido Pr. Clodoaldo, esta mensagem foi entregue dia 05/07/2015 no culto de Santa Ceia no Templo Sede da IEADN.

Seja abençoado em nome de Jesus.













Onda de ataques deixa 800 cristãos mortos e 16 igrejas destruídas

A Arquidiocese de Kafanchan divulgou esta semana que os últimos ataques no sul do estado de Kaduna, Nigéria, resultou em mais de 800 mortos. Cinquenta e três aldeias foram invadidas por soldados islâmicos, da etnia fulani. As autoridades reconhecem que falharam em proteger os habitantes locais, mas não anunciaram que providencias tomariam. Durante uma coletiva de imprensa, Ibrahim Yakubu, responsável pela arquidiocese e quatro outros padres apresentaram um relatório completo, mostrando que foram invadidas 1422 casas e destruídas 16 igrejas, além de uma escola primária cristã. Ao total, morreram 808 pessoas e mais 57 ficaram feridos. Ao jornal The National, Yakubu pediu que todas as famílias que perderam entes queridos ou propriedade recebessem algum tipo de compensação e que seja criada uma comissão oficial para investigar os casos. Já o senador Sani Shehu, reclamou que o estado de Kaduna esteja se transformando em “um matadouro e um cemitério onde vidas humanas não tem valor”. Ele af…